Trabalhadora perde estabilidade provisória de gestante ao pedir demissão
23 de dezembro de 2020
Processo de Avaliação de Riscos: uma das etapas mais importantes do programa de compliance
7 de janeiro de 2021
Exibir tudo

Diante dos desastres que acometeram os municípios de Rio do Sul, Presidente Getúlio, Ibirama, Vidal Ramos e Aurora, em razão das enxurradas e deslizamentos provocados por chuvas intensas no dia 16 de dezembro de 2020, que atingiram as zonas urbanas e rurais, causando prejuízos ainda incalculáveis, mas notoriamente incontestáveis, o Governo do Estado de Santa Catarina, por meio do Decreto n.º 1.066 de 28 de dezembro de 2020, prorrogou o recolhimento do ICMS para os estabelecimentos situados nesses municípios, desde que comprovem terem sido atingidos pelos desastres climáticos.

 

O estado de calamidade pública ou situação de emergência foram reconhecidos na Portaria 3.184, em 20 de dezembro de 2020, Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

 

As destruições causadas pelas intempéries agravaram a situação de muitas empresas, que já enfrentam a alongada crise provocada pela Pandemia do COVID-19, sujeitando o empresariado catarinense ao futuro incerto e inseguro.

 

Assim, os estabelecimentos situados em cidades catarinenses que decretaram estado de calamidade pública ou situação de emergência, decorrentes de desastres climáticos, terão três meses a mais para recolhimento do ICMS.

 

De acordo com o novo cronograma:

 

  •  I- até 10 de março de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência dezembro de 2020;
  •  II- até 10 de abril de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência janeiro de 2021;
  • III- até 10 de maio de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência fevereiro de 2021;
  • IV – até 10 de junho de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência março de 2021;
  • V – até 10 de julho de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência abril de 2021; e
  • VI – até 10 de agosto de 2021, para o imposto apurado e declarado no período de referência maio de 2021.

 

Para aproveitar o benefício o contribuinte deverá fazer a comunicação , via internet, na página oficial da Secretaria de Estado da Fazenda, mediante aplicativo próprio do SAT, até a respectiva data de prorrogação.

É indispensável que a empresa apresente laudo pericial emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina (CBMSC) ou por órgão da Defesa Civil (DC) que ateste o dano ocorrido, devendo o correspondente comprovante ser guardado pelo prazo decadencial.

Não estão compreendidas as empresas do Simples Nacional; o ICMS combustível, derivados ou não de petróleo, gás, energia elétrica e serviço de comunicação; à entrada de bem ou mercadoria importados do exterior, bem como aquele decorrente da saída subsequente da mercadoria importada do estabelecimento importador, amparada por benefício fiscal; devido por substituição tributária; e  em decorrência da saída da mercadoria do estabelecimento.

Atenta-se, o descumprimento sujeita à empresa ao pagamento do ICMS com os acréscimos legais desde a data de vencimento.

 

Fonte: Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina

 

Karen Sigounas Vieira
Karen Sigounas Vieira
Pós-graduada em Direito Tributário, pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET), e pós-graduada em Gestão Pública, pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), graduanda do Curso de Ciências Contábeis, no Centro Universitário Municipal de São José, Santa Catarina (USJ).

Deixe uma resposta

Contato