Empresas gaúchas do Simples Nacional não terão que recolher o Imposto de Fronteira

Jogador de futebol obtém estabilidade no emprego após lesão
15 de janeiro de 2021
As verbas rescisórias podem ser parceladas?
21 de janeiro de 2021
Exibir tudo

Mesmo que entre Estados da Federação não se tenham fronteiras, e sim divisas, mas considerado por muitos “um país dentro do Brasil”, o Estado do Rio Grande do Sul extinguiu o chamado Imposto de Fronteira, o Diferencial de Alíquota do ICMS (Difal), para empresas gaúchas compreendidas no Simples Nacional.

A cobrança do DIFAL no ICMS também é praticado por outros Estados. Entretanto o Governo gaúcho está adotando medidas para uma reforma tributária interna, especialmente pelo que se vê no Projeto de Lei n.º 246/2020 que institui o Código Boas Práticas Tributárias, sancionado em 29 de dezembro de 2020. Dentre elas, uma ação que beneficia diretamente as empresas enquadradas no regime unificado e simplificado de tributação, o Simples Nacional.

Com essa desoneração, 260 mil micros e pequenas empresas, que representam cerca de 85% do total de 310 mil empresas gaúchas, deixarão de recolher o percentual da diferença entre a alíquota interna do ICMS no Estado, e a alíquota interestadual incidente nas compras de produtos oriundos de outros Estados.

De acordo com o Deputado Frederico Antunes “Hoje podemos afirmar que a cobrança do Difal no RS chegou ao fim. Vitória de quem trabalha, produz, gera emprego e renda e representa quase 85% das 310 mil empresas gaúchas – comemora o parlamentar.”

Ao bem da verdade, a retirada do Diferencial de Alíquota, além de desobrigar às pequenas empresas, desonera a mercadoria e, consequentemente, beneficia o consumidor final.

 

Fontes: Portal Eletrônico do Governo do Estado do Rio Grande do Sul

 

Gouvêa dos Reis - Advogados
Gouvêa dos Reis - Advogados
A Rede Gouvêa dos Reis Advogados objetiva proporcionar segurança e soluções a seus clientes, desde 1967.

Deixe uma resposta

Contato