Prazo para desocupação voluntária do imóvel em ação de despejo deve ser suspenso em razão da pandemia, decide TJ-SP

MEDIAÇÃO PRÉ-PROCESSUAL: Incentivo às soluções extrajudiciais
19 de junho de 2020
Covid-19 e a super judicialização dos conflitos trabalhistas: Como solucionar conflitos sem se submeter à demora da justiça?
24 de junho de 2020
Exibir tudo

A 31ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo acolheu embargos de declaração, sob nº 1003166-15.2018.8.26.0318/50000, em 19/05/2020, para determinar a suspensão de ordem forçada de despejo até que sejam revogadas as medidas restritivas de circulação de pessoas impostas pelo Poder Público.

Segundo o julgado, a crise desencadeada pelo coronavírus surtiu efeitos no expediente do Poder Judiciário, como a suspensão de prazos processuais e limitação à prática de atos. Diante desse fundamento, determinou a suspensão do prazo de 15 (quinze) dias para restituição voluntária do imóvel ao locador.

 

#Locação #Imóvel #Despejo #Desocupação #Decisão #Advogado #Covid19 #Coronavírus #GDR #SC #Justiça #Imobiliário #Direito

Gouvêa dos Reis - Advogados
Gouvêa dos Reis - Advogados
A Rede Gouvêa dos Reis Advogados objetiva proporcionar segurança e soluções a seus clientes, desde 1967.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contato